Casamento Civil: Saiba tudo sobre!

casamento-civil

É fato que o casamento é um marco muito importante na vida de um casal. Isso porque demonstra que ambos querem se unir e formar uma família, apesar de existir outros meios de união como a união estável… Mas isso é assunto para um outro artigo. Afinal, vamos falar sobre Casamento Civil!

Antes de tudo, é essencial que você saiba alguns assuntos legais antes de dar entrada na habilitação para o casamento, como regime de bens e os tipos de casamento civil.

O que é Regime de Bens?

Regime de bens nada mais é que um conjunto de regras estabelecidas pelo casal antes do casamento com o fim de definir perante a justiça como irão proteger e administrar seus bens.

Agora que você já sabe o que é, vamos para a classificação do regime de bens, existem 4 tipos:

1- Comunhão Universal de Bens

Como o próprio nome já diz “universal”, é quando todos os bens do casal são partilhados igualmente, independente se foi adquirido antes ou depois do casamento. Lembrando que se você escolher esse tipo, é necessário ir a um Tabelionato de Notas fazer uma escritura antes de dar entrada no casamento.

2- Comunhão Parcial de Bens

É quando todos os bens adquiridos depois do casamento são partilhados ao casal.

3- Separação Total de Bens

É quando os bens de cada um são considerados de propriedade particular, independente se foram adquiridos antes ou depois do casamento, ou seja, na linguagem popular seria “o que é meu é meu e o que é seu é seu!” Aqui também é necessário ir ao Tabelionato de Notas.

4- Participação Final nos Aquestos

É como se fosse separação total de bens, ou seja, caso o casal venha a se divorciar, os bens que adquiriram durante o casamento são partilhados igualmente.

Quais são os Tipos de Casamento Civil?

1- Casamento Civil em Cartório

O casamento civil em cartório é aquele realizado no próprio cartório de forma pública.

2- Casamento Civil em Diligência

O casamento civil em diligência é aquele realizado fora do cartório de forma pública, comumente realizado em buffets, chácaras, praia e outros.

3- Casamento Religioso com Efeito Civil

O casamento religioso com efeito civil é aquele realizado pela autoridade religiosa. Para que tenha efeitos legais, é preciso realizar previamente o pedido de habilitação em cartório.

Após isso, é emitida a Certidão de Habilitação que o casal deve levar antes do casamento para o celebrante fazer o Termo de Religioso com Efeito Civil. Depois de celebrado o matrimônio, esse termo deverá ser levado ao Cartório em até 90 dias para que seja realizada a substituição do mesmo pela Certidão de Casamento Civil.

4- Conversão de União Estável em Casamento

A conversão de união estável em casamento é realizada quando o casal já possui convivência um com o outro e pretendem formar família, sendo assim devem ir ao cartório de registro civil portando seus documentos pessoais e duas testemunhas, para que possam dar entrada na habilitação para o casamento. E depois de um prazo estabelecido pelo cartório, é possível retirar a certidão de casamento civil.

Afinal, como dar entrada ao processo de casamento?

Para dar entrada na habilitação para o casamento, primeiro, é preciso procurar um Cartório de Registro Civil mais próximo da residência dos noivos com no mínimo 30 dias e no máximo 60 dias antes da celebração do matrimônio.

Para que assim o cartório tenha tempo hábil de verificar se ambos estão desimpedidos de casar. Só após isso, a data do casamento civil poderá ser marcada e realizada.

Caso os interessados em se casar sejam menores de idade, é necessário que se obtenha uma autorização escrita pelos seus responsáveis legais.

Para saber sobre quem pode ser testemunha, que documentos levar para o cartório, valores para o casamento civil e muito mais… Clique Aqui!

Agora, o que oficializa o casamento?

O que oficializa judicialmente é a Certidão de Casamento, esse documento é o que comprova a união civil.

E você sabia que mesmo que não mude seu sobrenome é preciso atualizar o “estado civil” dos seus documentos? Isso para que você não tenha problemas futuros com incoerência de dados. Lembrando que essa mudança deverá ser realizada logo após o casamento.

Segue a relação de documentos que precisam ser atualizados:

– RG

– CPF

– Título de Eleitor

– Carteira de Motorista (CNH)

– Passaporte

– Carteira de Trabalho

– Cadastros Profissionais como da CREA, OAB, CRM e outros.

Como também seu cadastro em Instituições Bancárias e Seguradoras.

Dica Extra: Em caso de rasura, perda ou roubo da Certidão de Casamento, na Central das Certidões é possível solicitar a segunda via sem burocracia e sem precisar enfrentar filas em cartórios. Clique aqui para solicitar!

Quer saber mais? Deixe seu comentário aqui no artigo que teremos o maior prazer em lhe responder!

Central das Certidões é Confiável?

Cartório 24 Horas agora é Central das Certidões

Antes de falarmos quem a Central das Certidões é, falaremos sobre quem não somos:

– Não somos um Cartório e nem possuímos vínculos com os cartórios, associações de notários e corregedorias.

Agora, você pode estar se perguntando…. Afinal, quem somos então?

Somos uma empresa de iniciativa privada com experiência sólida de mais de 15 anos e que atua na prestação de serviços de solicitação e entrega de certidões em todo o território nacional, além de entregarmos também para o exterior, ao todo são mais de 90 países habilitados em nosso sistema.

Nossa plataforma é a mais completa do mercado, com a possibilidade de solicitar certidões em mais de 12 mil cartórios, nela é possível fazer a solicitação de segunda via de documentos em todo o Brasil.

Tendo como missão, realizar a ponte entre a sociedade e os cartórios em um único lugar, isto é, uma Central, a Central das Certidões. Além disso, nosso compromisso é o de disponibilizar a solicitação e a entrega de certidões em todo o Brasil, de forma fácil, segura e sem burocracia.

Quais certidões posso solicitar?

Atendemos diversas naturezas cartorárias, podendo solicitar os seguintes documentos em nossa plataforma:

– Certidão de Nascimento

– Certidão de Casamento

– Certidão de Óbito

– Certidão de Protesto

– Certidão de Busca de Bens

– Certidão de Imóvel

– Certidão com Apostilamento de Haia

E muito mais!

Quais são as Certidões mais solicitadas pelo site?

Só no ano de 2020 foram solicitadas mais de 150 mil Certidões em nossa plataforma, sendo elas:

CertidõesQuantidade
Certidão Negativa de Bens76106
Indicativo de Bens – Digital26260
Matrícula de Imóvel Atualizada16396
Positiva – Pesquisa Prévia7006
Pesquisa Veicular Nacional3535
Certidão de Matrícula com Ônus Reais2393
Pesquisa Prévia – Digital2125
Certidão de Procuração1909
Indicativo de Notas Nacional1435
Contrato Social em Inteiro Teor1260
Certidão de Escritura1255
Certidão de Óbito1220
Matrícula Online – Sem Validade Jurídica718
Certidão de Inventário693
Validação Resultado – Prévia614
Certidão Negativa de Bens (20 Anos)607
Descritivo de Matrícula (Apenas Visualização)410
Certidão de Protesto 5 Anos387
Pesquisa de Óbito Nacional351
Outras Certidões (124 tipos)6077

Logo, para o exterior já foram entregues mais de 3000 Certidões – Clique aqui para saber mais

O que os clientes dizem da Central?

Cartório 24 Horas agora é Central das Certidões
Cartório 24 Horas
Cartório 24 Horas
Cartório 24 Horas

Como faço para realizar um pedido?

Para realizar seu pedido acesse o nosso site https://centraldascertidoes.com.br/

Quer saber o passo a passo?

É só seguir os tutoriais que preparamos especialmente para você de acordo com a sua necessidade:

Como solicitar a 2ª Via da Certidão de Nascimento – Clique aqui

Como pedir Certidão com Apostilamento de Haia – Clique aqui

Como solicitar Certidão de Escritura – Clique aqui

Como pedir Certidão de Protesto online – Clique aqui

Como pedir uma Certidão Negativa de Bens online – Clique aqui

Como tirar Certidão de Ônus Reais pela internet? – Clique aqui

Como pedir Matrícula de Imóvel Atualizada online – Clique aqui

Certidão dos Dez Cartórios de Protesto de São Paulo: como solicitar? – Clique aqui

Quer saber mais? Deixe seu comentário aqui no artigo que teremos o maior prazer em lhe responder!

Apostila de Haia: O que é e quando solicitar

Cartório 24 Horas agora é Central das Certidões

O que é a Apostila de Haia?

O apostilamento é definido como um certificado que autentica a origem de um documento público, para sua utilização em outro país.

Este documento é emitido em papel moeda contendo assinatura, cargo de agente público, selo ou carimbo da instituição. A apostila de haia torna menos burocrático a validação de documentos.

Antigamente, para validar um documento público no exterior (como a certidão de nascimento, antecedentes criminais, certificados, entre outros) era preciso sujeitá-lo a uma sequência de procedimentos.

Sendo pessoa física ou pessoa jurídica, era necessário fazer uma tradução juramentada do documento, reconhecimento de firma no Cartório de Notas, autenticação no Ministério das Relações Exteriores (MRE) e reconhecimento da autenticação em alguma embaixada ou consulado do país.

Todo o processo poderia levar meses para ser concluído e com a apostila de haia, eliminou-se pelo menos quatro etapas. Importante observar que, dependendo das exigências do país de destino, pode ser necessário fazer a tradução juramentada dos documentos.

Quando devo apostilar um documento?

O apostilamento deve ser solicitado sempre que houver a necessidade de apresentar o documento em outro país que não seja aquele que foi emitido.

Se a sua certidão foi emitida no Brasil mas será apresentada em outro país como Portugal, o apostilamento neste caso garantirá a devida autenticidade da certidão.

É importante saber que o país em que o documento apostilado for apresentado deverá, obrigatoriamente, constar na listagem dos países signatários da Convenção de Haia para ter validade.

Quais países fazem parte da Convenção de Haia?

Ao todo, são 116 países que fazem parte da Convenção de Haia. Confira alguns dos países signatários:

  • África do Sul;
  • Albânia;
  • Alemanha;
  • Andorra;
  • Argentina;
  • Áustria;
  • Bélgica;
  • Chile;
  • China;
  • Dinamarca;
  • Espanha;
  • Estados Unidos da América;
  • França;
  • Irlanda;
  • Israel;
  • Itália;
  • Japão;
  • Portugal.

Para conferir a lista completa dos países participantes acesse a lista de países signatários.

Como solicitar minha certidão apostilada pela Central das Certidões ?

Para solicitar sua certidão apostilada pela Central das Certidões é muito fácil. O apostilamento está disponível para certidão de nascimento, certidão de casamento, certidão de óbito e certidões de imóveis.

Para realizar seu pedido basta acessar nosso site oficial. Em nosso blog já publicamos um tutorial com todas as etapas: Tutorial Central das Certidões –  Como pedir Certidão com Apostilamento de Haia.

A entrega de certidões está disponível para todo o Brasil e mais de 90 países no exterior. A Central das Certidões, inclusive, já entregou mais de 3.000 certidões no exterior.

Caso prefira, nós também elaboramos em formato de vídeo nosso tutorial sobre como pedir uma Certidão com Apostila de Haia.

Cartório de Protesto: como protestar um título?

Como registrar um protesto

Como registrar um protesto?

Um dos recursos mais eficientes de cobrança, quando ocorre a inadimplência de um pagamento, é o protesto deste título. Pensando nisso, preparamos este material para trazer informações sobre como registrar um protesto no cartório.

Antes de tudo, o protesto de um título é registrado no Cartório de Protesto de Títulos. Este cartório deve estar localizado na cidade (praça de pagamento) indicada para que o pagamento ocorra, podendo ser de residência do devedor ou do credor.

Quais documentos podem ser protestados?

Existem vários tipos de documentos que podem ser protestados como, por exemplo:

  • Nota promissória (NP)
  • Duplicata mercantil (DM)
  • Duplicata de serviço (DS)
  • Cheque (CH)
  • Contratos em geral (C)
  • Letra de câmbio (LC), entre outros.

Somente o Tabelião do Cartório de Protesto é quem pode registrar um protesto de título, pois recebeu poderes de direito para exercer a função e garantir o efeito público da inadimplência e/ou descumprimento de uma obrigação. O protesto de títulos garante o direito de recebimento do crédito pelo credor.

Como protestar um título no Cartório de Protestos?

Para registrar um protesto de títulos, não é necessário dispensar nenhum pagamento e os encargos serão pagos pelo devedor, quando for retirado o protesto pelo mesmo. Quem pode registrar o protesto é o próprio credor ou alguém representando-o, em caso de pessoa jurídica o representante legal deverá estar munido do seu documento pessoal válido e uma cópia simples do mesmo.

O documento gerado pelo Cartório de Protesto chama-se Instrumento de Protesto e constarão as seguintes informações:

  • Nome completo, telefone e endereço do credor;
  • Nome completo e endereço do devedor;
  • Espécie do título: nota promissória, cheque, duplicata mercantil, duplicata de serviço, letra de câmbio ou contratos em geral;
  • Número do título;
  • Valor do título.

Caso o endereço do devedor for desconhecido, é possível requerer gratuitamente ao serviço de distribuição do município uma pesquisa de endereço nos bancos de dados da cidade.

Para finalização do processo de protesto, é preenchido um formulário para formalizar à vontade do credor e iniciar todo trâmite que um protesto envolve, como notificar o devedor e ao serviço de proteção ao consumidor.

Como pesquisar se uma pessoa está protestada?

Para pesquisar se pessoa física ou jurídica possui algum protesto vinculado ao nº de C.P.F. ou C.N.P.J., basta solicitar uma certidão de protesto ao cartório de protesto que deseja receber a pesquisa.

A pesquisa será feita no acervo do cartório de protesto indicado e na inexistência de protesto localizado no nome do pesquisado, é emitida uma certidão negativa de protesto.

Caso a resposta acuse protesto no cartório de protesto indicado, será emitida uma certidão positiva de protesto, formalizando as informações e os protestos encontrados.

No site da Central das Certidões é possível solicitar certidão de protesto online, com total segurança e praticidade, pois reúne todos os Cartórios de Protesto do Brasil.

Como explicamos no início deste artigo, o protesto é um excelente recurso para os processos de cobrança. Contudo, algumas dívidas podem ser elevadas ou precisar de outros recursos que possibilitem a recuperação do crédito.

Para estes casos é fundamental contar com um parceiro estratégico. A Central das Certidões recomenda a Leme Inteligência Forense para esta parceria.

No site da Leme é possível conhecer as soluções completas que a empresa oferece, que são aplicáveis desde a etapa de concessão de crédito até as etapas de cobrança extrajudicial e judicial.

Entenda sobre o Processo de Cobrança

Entenda o processo de cobrança

Entenda o processo de cobrança

Para o consumidor as vendas feitas a prazo, ou seja, parceladas com cartão de crédito, no crediário ou em boleto bancário, são facilidades e comodidades oferecidas por vários tipos de comércio e aceitas em diversos negócios.

Isso significa que o material é entregue ou o serviço é executado ao consumidor final, mas, só será pago integralmente após dias, semanas ou até meses depois desta entrega.

Quando a parcela de pagamento com data fixada para recebimento não é paga, entra em cena a inadimplência deste pagamento acordado. Esta dívida pode ter arrolado por força de uma série de fatores e, precisa ser cobrada.

O processo de cobrança é um conjunto de procedimentos adotados pelas empresas. Isso ocorre independentemente do tamanho delas,pois os recebimentos dos débitos estão diretamente relacionados aos seus negócios.

Existem formas de realizar esta cobrança, que podem ser:

  • Processo de cobrança administrativo
  • Processo de cobrança extrajudicial
  • Processo de cobrança judicial.

Confira, a seguir, o que preparamos sobre cada uma destas formas de realização da cobrança.

O processo de cobrança administrativo

Primeiramente, a cobrança, até um tempo atrás, era uma abordagem agressiva e incisiva. Por meio de uma percepção do mercado, as empresas passaram a tratar a abordagem de forma mais cuidadosa, para não constranger o cliente.

O processo de cobrança administrativo é a forma amigável de cobrar o cliente. São todas as dívidas que não são representadas por títulos judiciais e configuram uma relação bilateral que, muitas vezes propõe negociações através de acordos.

Neste formato de cobrança é comum que sejam realizados os contatos por meio de ligações telefônicas, cartas de cobrança e notificações extrajudiciais.

O processo de cobrança extrajudicial

Se após um determinado período, a empresa não obter sucesso na cobrança desta dívida por via administrativa, ela pode optar por recorrer ao processo de cobrança extrajudicial.

Neste cenário a cobrança se estende para as serventias extrajudiciais. Desta forma, a dívida é registrada no Cartório de Protesto de Títulos. Uma informação importante é que o protesto não caduca, deixando de existir apenas após a solicitação do seu cancelamento.

(Em nosso blog, aliás, já publicamos um artigo com o tema: Como limpar seu nome no Cartório de Protesto)

O processo de cobrança judicial

Por fim, o processo de cobrança judicial decorre sobre dívidas declaradas por atos judiciais. Este processo configura uma relação trilateral, onde um Juiz irá julgar o caso e a sentença é um título judicial.

Para receber, o interessado deve ainda ajuizar um processo de cobrança do título judicial onde vai cobrar essa pessoa e executar a dívida. Se a execução da dívida reproduzir insolvência e o credor tiver certeza que o devedor possui bens suficiente para saldar a dívida, ele poderá entrar com o pedido de execução de penhora e penhorar estes bens.

O credor, para ter certeza que o devedor tem bens em seu nome, pode realizar uma pesquisa patrimonial de bens móveis e imóveis. Os bens móveis consistem em carros, motos, entre outros. O levantamento pode ser feito nos departamentos de trânsito de cada Estado.

A pesquisa de bens imóveis consistem em propriedades, terrenos, sítios, entre outros. O levantamento pode ser feito nos Cartórios de Registro de Imóveis da cidade que há interesse desta pesquisa.

As demandas destas pesquisas costumam tomar muito tempo e esforço para concluir os pedidos. Além disso existem casos no qual o devedor realiza a blindagem do seu patrimônio.

Por isso é recomendado uma empresa especialista no assunto para aumentar a assertividade nas buscas patrimoniais. A Central das Certidões recomenda a Leme Inteligência Forense para esse processo.

Com a utilização de inteligência forense e inteligência artificial, a Leme já localizou mais de R$3.2 bilhões em patrimônios. Para conhecer todas as soluções disponíveis, é só clicar aqui.

Análise e Concessão de Crédito: saiba como funciona este processo

Análise e concessão de crédito no  Central das certidões
Análise e Concessão de Crédito

No mercado financeiro muito se ouve falar em concessão de crédito. Mas, de fato, você sabe o que é? E a análise para liberação desses créditos, você está fazendo da forma correta?

O que é a Concessão de Crédito?

A definição para concessão de crédito é realizar o fornecimento de recursos financeiros para uma determinada pessoa, seja ela jurídica ou física, onde esses recursos possibilitam ao indivíduo ter capital pra realizar aquisição de bens ou serviços.

Para realizar a concessão de crédito de forma segura, deve-se observar diferentes dados relacionados a pessoa que está em busca dos recursos. O credor realizando um análise bem feita, consegue manter uma carteira de clientes satisfeitos que não apresentam riscos para a empresa, trazendo maior segurança para o negócio.

A concessão de crédito deve ser feita de forma cautelosa, e adotada o mesmo procedimento de análise para todos os clientes, de acordo com a categoria. Todavia, deve-se observar que quanto maior for o recurso solicitado, mais aprofundada deve ser a análise de crédito, sempre com o intuito de garantir um entendimento correto dos riscos operacionais e financeiros que o credor está exposto.

Naturalmente as análises são diferentes para cada perfil de indivíduo como, por exemplo, o perfil de pessoa jurídica, onde os principais pontos a se observar são:

  • Porte da empresa;
  • Faturamento;
  • Perfil  dos sócios;
  • Cadeia societária; e
  • Avaliação se empresa faz parte de um grupo econômico.

Como funciona a análise de perfil

Como já é de conhecimento, hoje existem diversas fontes de banco de dados públicos e comerciais disponíveis no mercado. Esses bancos de dados auxiliam muitos credores a ter uma resposta imediata sobre o score de crédito de uma determinada pessoa.

Porém, a depender do perfil do indivíduo e do valor solicitado como crédito, é recomendado que essa análise seja mais criteriosa, onde é necessário expandir as análises para além dos bancos de dados comerciais, o que trará um melhor entendimento sobre o perfil do indivíduo frente ao mercado.

Esse aprofundamento no levantamento das informações que norteiam o solicitante do crédito, muitas as vezes devem ser realizadas em mídias impressas e online, tribunais de justiça e levantamento da situação fiscal em diferentes órgãos. Todas essas informações auxiliam na tomada da decisão de o credor poderá ou não conceder o crédito sem que corra riscos de inadimplência.

A Central das Certidões realiza análise de crédito?

A Central das Certidões não realiza a análise de crédito, mas indica uma empresa pioneira neste segmento: a Leme Inteligência Forense.

Buscando auxiliar instituições financeiras na concessão de crédito a novos clientes, a Leme desenvolveu um trabalho específico para análise de crédito, onde este trabalho é desenvolvido por profissionais com conhecimentos técnicos em diferentes áreas, como jurídico, financeiro e tecnológico.

Este trabalho consiste em realizar um análise criteriosa e aprofundada das informações de um determinado indivíduo. Em que, além de utilizar informações de bancos de dados comerciais e públicos, é realizado um mapeamento estratégico de todas as atividades da pessoa que está buscando obter o crédito no mercado.

Os resultados são entregues em formato de laudos investigativos, para que possam ser analisados pela área de crédito da instituição e assim decidir pela concessão ou não do crédito.

Entre em contato com os especialistas da Leme e conheça o portfólio completo de serviços.

Você também pode se interessar em nossos outros artigos:

O que é o Due Diligence?

Due Diligence no  Central das certidões
O que é Due Diligence?

A “Diligência Devida”, ou Due Diligence, é uma prática habitual do mundo corporativo de promover uma busca de informações para avaliação do risco em tomadas de decisão.

As aplicações são diversas, tal como o modelo de investigação a ser promovido. Pensando nisso, abordarmos neste artigo alguns exemplos de investigação como:

  • Background check;
  • Investigação corporativa externa;
  • Due Diligence imobiliária.

Background Check

Nosso primeiro exemplo é o background check. O background check é um compilado de informações profissionais, histórico criminal, de crédito, entre outros, de um indivíduo. Normalmente, o background check é utilizado por grandes corporações para a avaliação de candidatos a cargos elevados em seu organograma.

Mitigar riscos de exposição da empresa gerados por colaboradores de alto escalão é uma tarefa complexa, e uma das formas mais eficientes é reduzindo a possibilidade de exposição através da opção pelos perfis mais adequados para desempenhar essa função.

Por isso, a obtenção do conjunto de informações que compõe o background check pode ser de grande valor para complementar processos de seleção, permitindo que seja realizada uma análise mais aprofundada que as possibilitadas por metodologias de seleção de candidatos que não contemplam uma etapa investigativa especializada.

Investigação corporativa externa

Outro exemplo de Due Diligence é a investigação corporativa externa. Essa investigação consiste em uma análise semelhante à do background check, mas tem como targets empresas ou grupos, com os quais o cliente possui ou negocia algum tipo de relação.

As aplicações são abrangentes, podendo se tratar:

  • Processos de M&A (Mergers and Acquisitions);
  • Avaliação de fornecedores novos ou atuais;
  • Análise de concorrente, entre outros.

Dentro do atual contexto de combate à corrupção e do crescimento da atenção ao compliance por parte das grandes corporações, qualquer transação realizada por empresas é suscetível de grandes riscos, e a melhor forma de mitigá-los é tendo o maior número de informações possíveis sobre as pessoas com quem se transaciona.

Due diligence imobiliária

Algumas vezes, o fator de risco pode se tratar de um bem. E, em atenção a isso aplica-se a Due Diligence imobiliária.

A Due Diligence imobiliária é uma análise aplicada para operações de transferência de imóveis, que pode estar incorporada em outra modalidade de investigação (M&A, por exemplo), ou compras e vendas convencionais. Conhecer e estudar todos os fatores de risco que trazem a aquisição de um imóvel é vital para manter a integridade do patrimônio do adquirente.

(Aproveite para ler nosso artigo: Saiba tudo sobre o que precisa saber antes de realizar uma compra de lote ou imóvel)

Tão importante quanto promover a diligência devida, é promovê-la de forma devida. A Due Diligence é um trabalho que aparenta ser simples, mas deve ser conduzido com extrema cautela. Isso para que não haja contaminação das informações por ilegalidade, transferindo o risco da decisão para o processo de investigação.

Pensando nisso, aproveitamos para indicar uma empresa que desenvolve tais procedimentos utilizando metodologias não somente eficientes do ponto de vista de resultado produzido, mas do ponto de vista de controle de riscos, utilizando apenas fontes e técnicas de acordo com a legislação e normas de compliance.

Essa empresa é a Leme Inteligência Forense. Para saber mais sobre as soluções disponíveis, basta clicar aqui para entrar em contato com os especialistas da Leme.

Recuperação de Crédito: nível Corporate

Recuperação de crédito em nível corporativo

A forma como ocorre a recuperação de crédito pode ser dividida em diversos segmentos, de acordo com o tipo de devedor, credor, valor da dívida, entre outros.

Os segmentos relativos a dívidas de varejo são normalmente conduzidos por esteiras de cobrança. Em nosso blog, aliás, já publicamos um artigo sobre O processo de cobrança judicial e extrajudicial.

Entretanto, essa modalidade não é compatível com determinados perfis de devedores, devido a diversas dificuldades criadas intencionalmente pelos mesmos, ou acidentalmente pelo contexto econômico de seu nicho de mercado.

Nestes casos existem algumas modalidades específicas como a recuperação de crédito em nível corporate. Você sabe como ela é funciona?

O que é a recuperação de crédito em nível Corporate?

O nível Corporate diz respeito a grandes empresas ou grupos com passivos expressivos, normalmente superiores a R$ 5 milhões. São casos que uma simples busca de bens pela via judicial ou extrajudicial tem chances muito reduzidas de sucesso.

Promover uma investigação para encontrar bens de devedores dessa categoria é um procedimento delicado, posto que muitas vezes terá como targets pessoas envolvidas ou com grande risco de envolvimento em processos de recuperação judicial, falência, grupos econômicos complexos, administrado por pessoas com diversas modalidades de estratégias de blindagem patrimonial.

Para vencer tantas barreiras é necessária a aplicação da metodologia adequada, com uma coleta de evidências robustas para suportar teses jurídicas que muito provavelmente serão vitais para o atingimento do patrimônio localizado.

Como realizar essa Investigação Patrimonial?

Para realizar uma Investigação Patrimonial adequada a recuperação de crédito em nível corporate, como mencionamos no tópico anterior, é importante contar com um parceiro estratégico.

Existem empresas especializadas nestas pesquisas patrimoniais, como é o caso da Leme Inteligência Forense , por exemplo. A Leme conta com vários especialistas em sua equipe, além de uma metodologia inovadora no mercado.

(Aliás, você pode clicar aqui para entrar em contato com a Leme e conhecer as soluções que estão disponíveis desde o crédito até à cobrança.)

A cobrança de dívidas desse porte é uma corrida contra o tempo, pois tais devedores geralmente terão um passivo judicial composto por uma grande variedade de credores, muitos destes com departamentos especializados em promover investigações de alta complexidade para identificação de patrimônio, colocando-os em posição privilegiada na busca pela satisfação de seus créditos.

Uma investigação bem conduzida poderá fornecer elementos de grande valor para fortalecer a posição do credor em uma mesa de negociação, melhor cenário para esse dentro de todo o contexto de inadimplência do target.

Por fim, o investimento em investigações para a recuperação de crédito do nível corporate também é uma forma de mitigar despesas, pois promover buscas de bens sem o melhor direcionamento importa em um alto investimento em emolumentos cartorários, com grande risco de retorno negativo, criando despesas ao credor que tornarão a dívida um problema cada vez maior.

Ficou com alguma dúvida? Aproveite para deixar seu comentário abaixo para que nossa equipe possa lhe ajudar.

O processo de cobrança Judicial e Extrajudicial

Processo de cobrança

O processo de cobrança é cada vez mais habitual, especialmente pela diversidade de recursos que pessoas físicas e jurídicas dispõem para efetuar suas transações comerciais, intensificando o consumo e consequentemente as possibilidades de inadimplência.

Diante deste cenário as empresas mantém um controle rígido sobre as suas finanças, principalmente no âmbito das contas a receber, com a finalidade de manter o equilíbrio financeiro e garantir o recebimento de eventuais pendências.

Entretanto, quando um consumidor não quita seus débitos os estabelecimentos precisam recorrer aos recursos de cobrança, utilizando um conjunto de procedimentos para esta finalidade.

Continue lendo este artigo até o final e saiba mais sobre os processos de cobrança judicial e extrajudicial.

Como se iniciam os processos de cobrança?

Os processos de cobrança iniciam-se de forma administrativa. Eles podem se tornar um processo de cobrança extrajudicial ou um processo de cobrança judicial.

Inicialmente, são frequentes as negociações amigáveis. Podem ser efetuados contatos telefônicos para realização de acordos e envio de cartas de cobrança.

Entretanto, quando a empresa não obtém sucesso desta forma, inicia-se o processo de cobrança de forma extrajudicial.

O processo de cobrança extrajudicial

Inicialmente, no processo de cobrança extrajudicial, ocorre o registro da dívida (protesto) no Cartório de Protesto de Títulos.

Este procedimento extrajudicial costuma ser utilizado, também, na cobrança de pessoas jurídicas. Neste segmento existe maior complexidade para realizar os métodos mencionados anteriormente, em virtude da dificuldade para localizar nas empresas os responsáveis pelas tomadas de decisões.

Por meio do site da  Central das Certidões , aliás, você pode solicitar a segunda via de Certidões de Protesto. A busca pode abranger os últimos cinco ou dez anos e você recebe o documento em seu endereço.

O processo de cobrança judicial

Por outro lado, no processo de cobrança judicial, a cobrança é realizada por intermédio da justiça. Este procedimento é recomendado para situações extremas, sendo preferível a cobrança amigável. Entre as espécies de ações judiciais, destacamos três:

Ação de Execução de Título Extrajudicial:

Esta ação é empregada para recuperação de títulos como cheques, notas promissórias e duplicatas. O devedor é intimado para realizar a quitação do débito. São estipulados prazos para regularização, com possibilidade de bloqueio dos bens.

Ação Monitória: 

Também é utilizada para recuperar títulos como cheques, notas promissórias e duplicatas, quando prescritos. Para ser proposta é necessário prova escrita.

Ação de Cobrança Procedimento Comum:

É utilizada quando o credor detém pouca documentação comprobatória, impossibilitando a utilização de outras ações mais eficazes.

Apesar da possibilidade de renegociação por vias judiciais, a tendência para os processos de cobrança é a negociação por vias administrativas ou extrajudiciais. Esta negociação amigável pode gerar maior índice de sucesso com menor tempo para resolução.

Para os processos de cobrança, em especial os judiciais, é muito importante contar com uma empresa especializada para obter melhores resultados e aumentar a eficácia na recuperação de crédito. Você já conhece a Leme Inteligência Forense?

Na Leme, o escopo de trabalho foi desenvolvido em um formato que contempla soluções que vão desde o crédito até à cobrança.

Desta forma, existem soluções disponíveis desde a etapa em que ocorre a análise de crédito, passando pelo preventivo, até a cobrança extrajudicial e judicial.

Quer saber mais? Clique aqui para ter acesso ao portfólio completo de soluções.

Autorização de viagem nacional para criança

Autorização de viagem nacional para criança

Cartório 24 Horas agora é Central das Certidões

Quando uma criança ou adolescente está prestes a viajar desacompanhada dos pais ou de um acompanhante com grau de parentesco, uma das principais dúvidas que surgem é sobre a necessidade de uma autorização de viagem

Para sanar essa dúvida, preparamos este conteúdo para falar sobre a autorização de viagem nacional e os casos em que é necessário providenciá-la.

(Atenção! Se você tem dúvidas sobre a autorização de viagem internacional, aproveite para ler esta outra publicação: Autorização de viagem internacional para menor)

Quando é necessária uma autorização de viagem para criança ou adolescente?

A autorização de viagem nacional é um documento necessário quando uma criança ou adolescente com idade inferior a 16 anos está prestes a viajar:

  • Desacompanhada de ambos os pais
  • Desacompanhada de um responsável legal
  • Desacompanhada de um parente de até terceiro grau (como irmãos, avós, ou tios, maiores de 18 anos).
  • Acompanhada de uma pessoa sem grau de parentesco

É importante saber que, estando acompanhado de um dos pais, não é necessário que o outro responsável providencie autorização para viagem.

Como a autorização deve ser realizada?

De acordo com a Resolução Nº 295, de 13/09/2019, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a autorização de viagem pode ser realizada por meio de documento particular com firma reconhecida no Tabelionato de Notas.

Confira os modelos de autorização de acordo com a forma que a criança ou adolescente irá viajar:

Além da autorização, a criança ou adolescente deve portar o RG original obrigatoriamente a partir dos 12 anos. Para crianças menores de 12 anos é possível apresentar a certidão de nascimento original ou cópia autenticada.

Ficou com alguma dúvida? Escreva nos comentários abaixo para que possamos lhe ajudar.

Você já acompanha a Central das Certidões nas redes sociais? Siga nossas páginas e fique por dentro de todas as nossas novidades: